Bate-volta em Bratislava – Eslováquia

Bratislava é a capital da Eslováquia, que é um país muito novo, pois até 1993 junto com a República Tcheca formavam a Tchecoslováquia. Também já fez parte da Hungria na época do Império Astro Hungaro. A separação em 1993 foi chamada de “divórcio de veludo” pois foi de forma pacífica que a Eslováquia e a República Tcheca se separaram.

Este país faz parte da união européia e aderiu ao euro como moeda; apesar disso é um turismo barato para nós Brasileiros, muito por isso é uma ótima ideia de um bate volta partindo de Viena (uma das cidades mais caras da Europa) ou até mesmo de Budapeste. E foi assim que fizemos; passamos o dia em Bratislava comendo e bebendo e quando estávamos bem abastecidos tomamos o ônibus de volta a capital da Áustria.

Bom, mas quero continuar na minha introdução…

A língua local é o eslovaco que é parecida com o Tcheco (que também é difícil, hehe) então vai de inglês mesmo que a maioria do povo vai te entender. 

A cidade de Bratislávia é a maior e mais importante cidade da Eslováquia e tem um dos maiores pibs da Europa. Outra peculiaridade é que ela é a única capital européia que tem fronteira com dois outros países, com a Áustria (de onde saiu nosso bate-volta) e Hungria para onde partimos de Viena.

A cidade está as margens do rio Danúbio que é um dos mais importantes rios da Europa, cruzando muitas fronteiras. Alíás para se chegar em Bratislava em grande estilo, partindo de Viena por exemplo, é ir à bordo de um dos cruzeiros que transitam pelo Danúbio.

Nós priorizamos a cerveja então…hehe… fomos à bordo do Flixbus, o que custou 8 euros e a viagem durou pouco mais de 1 hora.

A cidade é relativamente pequena, cerca de 400 mil bratislavos (será que assim que se fala?). A parte turística é o seu pequeno centro histórico.

Eu achei os bratislavos(?) bastante ranzinzas, mas aquele tipo de chato que a gente até acha engraçado… entende? mais abaixo conto uma que aconteceu comigo…

 

 CASTELO DE BRATISLAVA

img_1188

Iniciamos nosso passeio por Bratislava pelo Castelo, já que este fica próximo da estação de ônibus onde fomos deixados.

O Castelo de Bratislava, como a maioria dos castelos fica no topo de uma colina e pode ser visto de toda a cidade (na era medival isso servia principalmente para segurança, para possibilitar ver os inimigos chegando ao longe).

img_4970

É bem simplesinho se comparado ao palácio de Versalhes e ao Schonbrunn em Viena, mas é cheio de história pois já foi refeito várias vezes. Ele foi construído inicialmente no ano de 900, pelo menos uma parte dele, e em 1300 fizeram outra parte e essa de estilo gótico; já em 1700 eles construíram a parte barroca que hoje é a frente. Mas em 1911 ele pegou fogo e só em 1950 foi reconstruído.

Dentro do castelo fica o Museu Nacional Eslovaco, que mostra a história do país e também sobre a música eslovaca. Para entrar nas dependências internas do castelo se paga 10 euros, mas no primeiro domingo do mês é de graça. Abre todos os dias das 10h às 18h. 

Do castelo se tem uma boa vista do Danúbio e da “cortina de ferro”, assim são chamados os prédios que ficam na margem esquerda do Danúbio. Isso fica no bairro Petresalca, o que sofreu maior influância da denominação soviética de 1948 à 1989; os edifícios de apartamentos minúsculos sem decoração demonstram os tempos difíceis.

Do castelo também pode-se ver as fronteiras com a Hungria (12km) e Áustria (8km). Mas isso não vai ser o que vai mais lhe chamar a atenção, tenho certeza, vais é levar um susto com um prédio erguido em cima da ponte principal (aliás se tu fores de Viena vais passar por debaixo dele na chegada). Essa ponte e esse “monumento” que mais parece um disco voador, foi construído nos anos 70 e na época era o que havia de mais moderno em arquitetura.

img_4980

Chama-se PONTE UFO, UFO Tower ou simplesmente UFO (sigla em inglês para Objeto Voador Não Identificado, o popular disco voador). E lá no topo nos vidros transparentes funciona um restaurante que é um dos mais sofisticados, caros e concorridos de Brastislava. Se quiser aproveitar a refeição é bom fazer reserva, costuma ter filas. Mas se é só para ter a vista, é possível subir de elevador e paga-se 7,40€ para chegar ao topo pelas escadas. Lá também tem uma coisinha radical a se fazer, tem-se a opção de caminhar ao redor dela, isso do lado de fora, claro que com a segurança de cabos de aço, uma experiência diferente.

 

O QUE FAZER ALÉM DO CASTELO (PRINCIPAL ATRAÇÃO)?

A resposta é andar pelas ruelas do centro histórico, que é compacto e tem seus monumentos todos próximos para facilitar curtir tudinho a bordo de apenas um calçado confortável (para mim o melhor jeito de turismo, o segundo seria pedalando).

A cidade é cortada por seus bondes elétricos, mas para quem quer fazer um tour de um dia quase que o transporte se torna desnecessário e como disse acima… ainda mais porque é caminhando que se conhece Bratisláva. O caminho mais longuinho foi do castelo ao centro histórico, mas como paramos no meio para almoçar e tomar uma cervejinha nem senti as pernas.

Bratislava é uma cidade muito antiga e que teve diversos reinados e governantes. Nota-se isso na multiplicidade de estilos arquitetônicos, indo do gótico ao barroco… Mais recentemente os governantes que achavam que a cidade não precisava ser bonita e sim “funcional” fizeram uma grande auto estrada que corta a cidade velha e a parte do castelo… ficou horrível, um crime.

 

Processed with VSCO with au1 preset
Processed with VSCO with au1 preset

No caminho até o centro histórico, bem depois da descida do castelo é bem provável que tu já estranhará a visão de uma muralha bem antiga sendo cortada pela auto estrada que liga a ponte do disco voador, bem por isso é que a ponte não agrada a todos, a localização dela é ruim, pois para a estrada ser contruída foi derrubado uma parte do centro histórico que formava o núcleo judaico de Bratislava e junto disso uma sinagoga ortodoxa foi abaixo, lamentável. Outra vista que tu terás é a Igreja de São Martinho;

Processed with VSCO with oak1 preset
Murralha e Igreja de São Martinho.

IGREJA DE SÃO MARTINHO Construída no século XV é a maior igreja De Bratislava e muito conhecida pela coroação dos reis e rainhas da hungria, entre elas Maria Thereza.  Essa igreja pode ser visitada e não se paga nada para entrar. E para piorar a história da autoestrada, essa igreja também está tendo sua estrutura comprometida pouco a pouco com o movimento e peso da estrada.

E como falava acima, no meio do caminho paramos para almoçar. Preciso recomendar o restaurante que almoçamos pois tem uma decoração muito legal. O restaurante é o Slovak bar mas como em todos os lugares de Bratislava não fomos muito bem atendidos; Parece que o humor característico deles é meio azedinho mesmo, mas no final das contas, para os turistas que estão de boa acaba sendo até engraçado.

img_1295

Para dar um exemplo do humor “bratislavo” vou contar sobre nosso almoço: Chegamos no restaurante e nos paramos na porta a espera daquele garçom que estamos acostumados a lidar, o qual vem e pede : – Mesa para quantas pessoas? Mas neste restaurante isso não aconteceu e então fomos até a garçonete que estava mais próxima e indagamos (claro que em inglês): – Bom dia, onde podemos nos sentar? a resposta foi em tom de ironia: – ué, onde quiserem, em qualquer mesa livre! Bom, diante disto fomos quietamente para um cantinho e de lá ficamos espiando os garções que se aproximavam nas imediações de nossa mesa, mas nada aconteceu e depois de meia hora de wifi o Fridolino se levantou e foi até o balcão pedir o cardápio e uma cerveja, lá o garçom disse, num tom meio bravo, que o atendimento era nas mesas e que deveríamos aguardar. Então o bonito acompanhou meu marido e na mesa tirou nosso pedido. Ok, demorou e chegou nosso almoço que por sinal estava bom e barato, mas quando quisemos repetir a cerveja (já estávamos com o copo vazio a um tempo e nada) meu marido fez sinal para que o garçom viesse… imagina a reação: – já vou, não precisa me chamar!

Rimos muito… já tínhamos ouvido relatos de que o povo é ranzinza, então a dica para tu ir à Bratislava é: não chame o garçom em momento nenhum, de forma nenhuma e por nenhum motivo. Simplesmente aguarde! hehehehe

Ah, podes beber tranquilo, os valores na Bratislava são bons.

 

CENTRO HISTÓRICO – Old Town

O centro histórico fica no lado oposto ao castelo quando se chega da autoestrada. E caminhamos do castelo até o centro antigo e foi bem tranquilo.

A nossa entrada no centro histórico não poderia ser outra senão pelo PORTÃO DE MIGUEL, Michael’s Gate ou ainda Michalská Brána. Esse portão que era uma das entradas da cidade (a dos pescadores, pois ali existiam aquelas pontes levadiças) é a única entrada aque restou das quatro entradas que existiam quando a cidade era cercada. Hoje é a principal entrada para o centro antigo.

img_4975

Essa torre de estilo barroco tem 52 metros de altura e se pode-se subir nela para se ter uma vista de Bratislava. Custa 4,50€ e funciona das 10h às 17h de segunda à sexta e das 11h às 18h nos finais de semana.

Processed with VSCO with ss1 preset

E além da vista da torre, pode-se visitar o museu das armas que funciona ali junto à torre.

E mais adiante, fica uma ponte bem charmosinha que está sendo tomada por cadeados de apaixonados, achei bem simático, no centro da ponte fica a estátua de São Miguel.

Processed with VSCO with ss1 preset
atrás de mim a estátua de São Miguel

No centro pode-se notar que algumas ruas são tão estreitinhas que não passam veículos; descobri que na era medieval, passavam por ali mulas  que eram os únicos “meios de transporte” então essas mulas comercializavam produtos que eram alcançados pelas janelas.

Processed with VSCO with c1 preset

PRAÇA PRINCIPAL DE BRATISLAVA

Para achar, talvez você precise anotar o nome em eslovaco, Hlavné Namestie; estou brincado, é super fácil de encontrar, mas é legal saber que em Tcheco não se decifra nada né?!

Nos aredores, monastérios e embaixadas, aqui também é o ponto principal da cidade.

img_4972

Uma maneira de conhecer Bratislava e ainda escutar muitas histórias deste lugar é dar uma voltinha nesta espécie de trenzinho vermelho que aparece na foto acima. São lindinhos e simpáticos. Para contratar, basta procurar pelos arredores da praça.

E um lugarzinho para comprar um souvenir é a ali na praça mesmo, essas tendinhas (foto abaixo) tem cada coisinha linda… Legal deve ser em dezembro, pois nas tendas são vendidos enfeites de Natal… como eu amo o natal, sonho em um dia fazer da minha casa um Natal Luz, hehe.

img_4971

PRAÇA FRANCISCANA

Essa é uma praça pequena e cercadinha, fica em frente ao monastério com essa torre diferentona hehe (parece que a frente está de lado desse prédio né). E ao fundo da praça  fica a Igreja de São Francisco que é a mais antiga de Bratislava. Neste igrejinha é possível entrar para conferir seu interior.

img_1417

Outro canto para se obervar é o da prefeitura antiga que hoje é o Museu da História da Cidade. Custa 5 €, se tiver tempo visite. Este lugar também forma uma praça com as laterais de seus prédios, bem legal para se dar um “giro”

Processed with VSCO with c8 preset

img_4974
Uma vista melhor da praça da prefeitura

Bratislava também tem uma grande ligação com a música, até porque fica colada na Áustria e Viena. Inclusive Mozart se apresentou na cidade por várias vezes e Bethoven interpretou ali pela primeira vez sua missa solene completa. Bratislava também é sede da osquetra filarmônica da eslováquia que se apresenta no teatro da cidade.

img_4973
a minha amostra de música em Bratislava foi essa, um gênio.

 Tenho certeza que quando você andar pelo centro histórico, uma das coisas que mais lhe chamará atenção serão as várias estátuas que estão por lá. Na verdade elas não tem motivos específicos para estarem lá, simplesmente foram colocadas para atrair turistas. Uma é de um soldadinho de Napoleão que depois de ter terminado sua missão em Bratislava quis ficar por lá pois se apaixonou perdidamente por uma moça da cidade. Outra é a estátua “Man at Work”, que é um trabalhador que gostava de sair dos canos para observar as mulheres de Bratislava. Cada uma… rsrs. Se fossem fazer estátuas destes por aqui faltariam esquinas.

img_1346

Outra coisa a se obervar são os portões de ferro que estão pendurados,  são uma amostra dos 400 anos que a cidade estava cercada/fechada.

E olhe bem pelo chão, existem coroas cravadas no chão identificando onde a realeza passava abanando para os plebeus. E na quarta semana de junho acontece o Festival da Coroação, que através de um desfile com pessoas fantasiadas lembram do glamuor da era medieval. Quem sabe tua viagem a “bratis” não caia desse final de semana?! Deve ser uma viagem, hehe.

Bratislava sofreu muito na época do comunismo com o domínio soviético; foram destruídos prédios que hoje embelzariam ainda mais a cidade… tempos difíceis, sem clutura e sem desenvolvimento tecnológico. Esses tempos difíceis podem ser conferidos no bairro Petresalca e também em outras partes da cidade onde há monumentos que retratam essa época, como o prédio abaixo.

img_1418

E para encerrar o passeio eu indico escolher um dos pubs da região do Portão de Miguel. São várias as opções de restaurantes/pubs onde se pode sentar e passar o dia bebendo e comendo; não deixa de ser um grande atrativo cultural observar o movimento local… Enquanto estávamos por lá vimos um fanático passar só de cueca. O cara provavelmente perdeu alguma aposta pois havia vários amigos rindo em volta heheh.

img_1457
Também vimos isso… provavelmente uma despedida de solteiro

Foi uma ótima ideia parar de perambular e ver o tempo passar; deixamos de subir no museu das armas para ficar ali sentadinhos, bebendo, comendo e vendo Bratislava passar; nos divertimos horrores com a turma diferentona e até esquecemos que estávamos ali de passagem.

Ás vezes é necessário sair do roteiro, fazer algo não programado. Como estávamos vindo das luzes de Paris, da linda Praga, de Pilsen regada a muitas cervejas, de Cesky Krumlov dos contos de fadas e da Viena onde se tem a melhor qualidade de vida do mundo, Bratislava estava sendo um tanto comum aos nossos olhos, então ali precisávamos de uma pausa para descansar das férias, hehe.

Processed with VSCO with nc preset

img_1450
um prato um tanto diferente, cogumelos empanados fritos heheh

Bom fridinhos(as), recomendo esse bate-volta partindo de Viena ou de Budapeste. Não recomendaria um pernoite nesta cidade por exemplo, pois não tem tanta coisa pra se fazer; Vale mais a pena passar uma noite à mais na cultural Viena por exemplo.

No próximo post falarei de Budapeste onde encerei essa trip. Até mais, kussie!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: