Downhill na estrada da morte! Coroico-Bolívia.

 

Para quem estiver passando por La Paz esse é um passeio radical a ser fazer por lá! Adrenalina pura! Recomendo pra quem gosta de aventura e bike e não tenha medo de altura, hehehe.

A Xtreme é uma das agências mais conceituadas para este downhill; segue e-mail da agência para informações: info@stremedownhill.com

E seguem informações sobre a minha experiência:

O custo vai de 400 a 600 bolivianos dependendo do tipo da bike, mas a de 400 já possui freio a disco, suspensão frontal e demais características de uma bike de downhill. Todas as opções incluem capacete, joalheiras, cotoveleiras, luvas, calças e jaquetas. Recomendo que coloque uma calça justa por baixo, camiseta e blusa de frio que devem ser confortáveis para que consiga ter mobilidade. Os calçados melhores são os impermeáveis pois há trechos que se passa em meio a água.

Também é essencial levar protetor solar e óculos escuros (fechados nas laterais para ajudar a proteger do pó)

E se for querer tomar banho de piscina no hotel onde se almoçano final do passeio, antes da volta a La Paz, leve roupa de banho (como fomos no inverno somente os turistas do Alaska se arriscaram)

O passeio inclui café da manhã (bem simples) um lanche, um almoço e água.

São mais ou menos 5 horas de pedal (90% só descidas) somando as duas partes do trajeto.

A experiência:

O passeio inicia as 6:45 da manhã em frente à oficina da Xtreme na rua Sagarnaga. Tomamos um microônibus, o qual já transportava as bikes e seguimos até o primeiro ponto de partida de bike.

Lá tomamos o café (pão, manteiga, geleia, café e chá de coca) e nos vestimos.

 

Iniciamos a pedalada por uma autoestrada pavimentada e com tráfego leve de veículos (sem acostamento). Essa rodovia, no ponto de partida está a 4.700 metros de altitude e essa primeira parte do downhill foi muito gelada.

E como estava dizendo, descemos de bike até um ponto onde subimos no microônibus novamente e seguimos até Unduani onde inicia a famosa estrada da morte e dali por diante a estrada é de terra, com bastante pedras e na maioria dos pontos tão estreita que só passa um veículo por vez.

 

A estrada é perigosa para downhill? Mais ou menos. A maioria dos penhascos não são protegidos por guardrails e qualquer vacilo é morte na certa, assim como já ocorreu várias vezes e pelo caminho se percebe isso pelas muitas cruzes a beira da estrada. Mas se tu seguir as instruções passadas pelo guia é bem tranquilo; o que mais vai ser desafiador é segurar o freio, pois são mais de três horas de decida em meio as pedras (treme muito o guidom) e mesmo com as luvas especiais os dedos travam e por alguns momentos pensei que não conseguiria seguir. Ah, e se caso tu não sintas confortável, pode ir descendo no micro, pois ele acompanha todo o percurso e nos momentos de parada é possível pegar água e guardar as roupas de frio que não são mais necessárias.

De Unduani seguimos até Chuspipata onde fizemos a primeira parada maior (são feitas outras paradas para reunir o grupo novamente, pois há quem siga mais rápido e por cautela se espera os demais). A segunda parada para descanso dos dedos foi em San Juan onde há uma espécie de Cachoeira onde passamos em meio aos fios de água. Dali seguimos até Yolosa onde paramos para tomar um lanche (refrigerante, sanduíche, bananas e salgadinho). Nesse lugar há uma tirolesa bem radical, custa 80 bolivianos, mas ninguém teve coragem de fazer; o downhill já é emoção suficiente para um dia.

Depois dessa parada para lanche seguimos para o último trecho de bike e ali tivemos que pedalar um pouco. Essa parte foi terrível pois a bike é de pneus largos e como estávamos vestindo as joelheiras parecia que não saímos do lugar. Aliás, os olhos em toda a pedala devem permanecer na estrada, pois uma virada de cabeça pode te levar ao precipício. Segui a risca a recomendação e só posso dizer a experiência foi tranquila e incrível!

img_8116

O último trecho com as bikes terminou em Yolosa que fica a 1200 metros de altitude, isso quer dizer que descemos 3500 metros em meio a penhascos!

Em Yolosa paramos de bike num bar para tirar roupas de downhill e por as bikes em cima do micro. Relaxamos um pouco e tomamos umas Pacênas (cerveja mais comum na Bolívia).

img_8142

Depois seguimos de microônibus até Coroico onde almoçamos (buffet) num hotel. Ali descansamos e quem não tinha medo de água fria tomou banho de piscina.

img_8150

Depois, as 15h tomamos o microônibus em sentido a La Paz e chegamos em torno das 19h, todos satisfeitos com o que o passeio proporcionou!

Foi demais! Sonho realizado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: