Serra Gaúcha da uva e do vinho: Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo.

Quem ainda não conhece as delícias da Serra Gaúcha colonizada pelos Italianos, deve conhecer. E quem faz tempo que não vai, recomendo voltar e quem sabe criar o hábito de ir pelo menos uma vez ao ano. Até porque a região é grande como o coração da Nona e precisa-se ir muitas vezes para conhecer todas as vinícolas e cantinas e demais atrativos.

HOSPEDAGEM:

– MONTE BELO DO SUL: Na minha visita mais recente à Serra do Vinho, escolhi ficar na cidadezinha de Monte Belo, vizinha a Bento Gonçalves e que fica no topo do Vale dos Vinhedos; e posso dizer que valeu a pena. Foi uma das minhas melhores experiências por lá.

Como de costume, utilizamos do Booking para encontrar a hospedagem. Como a cidade é pequena e não possui hoteis, escolhemos uma casa com vista para o vale com uma valor de diária de R$ 140.00 para casal (a casa comporta mais pessoas, mas o valor muda um pouco; podem me pedir o telefone da dona que passo inbox no insta).

Monte Belo é uma cidadezinha com uma população de 3 mil habitantes. Possui uma praça linda e charmosa; Tem até um chafariz de vinho hehehe. Um chima por ali na manhã vale muito e quem sabe você ainda pega o horário da missa, que tal?

A boa sacada de ficar em Monte Belo é a possibilidade de fazer um passeio de bike pelas redondezas num trajeto de 18km pelo interior em meio aos parreirais. Foi o que fizemos e a experiência é muito bacana pois é a melhor maneira de se integrar com o ambiente. Abaixo falo mais da “biketerapia”.

Dica de restaurante em Monte Belo: NONNA METILDE

img_3228

O restaurante da Nonna Metilde é maravilhoso, com a comida típica italiana toda servida na mesa.

Entrada de copas, salames e queijos. Sopa de capeletti e tudo que há de gostoso na foto abaixo:

O rodízio completo fica a R$ 58,00 por pessoa e vale cada centavo.

 O Restaurante fina na rua Sagrada Família, bem no centrinho de Monte Belo do Sul. 

 

– BENTO GONÇALVES: Para quem quer ficar nesta cidade, o hotel mais badalado é o Dall’Onder. É um hotel bem grande com uma baita estrutura, mas você também pagará por isso. O custo de uma diária num quarto para casal simples fica a partir de R$ 400,00 na temporada. Segue o site deles:

https://www.dallonder.com.br/bento-goncalves/grandehotel/

 

– PINTO BANDEIRA: Essa cidadezinha fica para os lados dos Caminhos de Pedra e aqui eu recomendaria o hotel pousada Fornasier, que possui um restaurante ótimo funcionando a noite (como fica fora da cidade e provavelmente durante o dia tu visitará vinícolas e de provinha em provinha a noite tu não terá condições de sair para jantar, então um restaurante bacana no próprio hotel tem seu valor). A pousada tem arquitetura de castelinho, muito dentro do encanto esperado no vale dos vinhos. As diárias giram em torno de R$ 200,00.

Segue o site deles: http://pousadafornasier.com.br/pousada.html

 

O QUE FAZER ALÉM DE BEBER VINHO E COMER QUEIJO COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ?!

Nessa última estada, priorizamos um desejo antigo, pedalar em meio aos vinhedos. Aí veio a importância de ficar em Monte Belo, pois saímos de nossa hospedagem e seguimos em sentido ao interior da cidade, fazendo o roteiro conforme a foto/mapa abaixo:

tour_monte_belo

Foram 18 km de subidas, descidas e muitas paradas pois afinal de contas era um pedal para vivenciar e não para competir, modo passeio. Com isso levamos em torno de 3 horas.

img_3301

As paisagens são de simplicidade pura e para mim uma volta ao passado, tudo muito familiar embora minha família plantasse soja e não uva.

Paramos em duas vinículas, a primeira da Família Tasca que já na estradinha de acesso vende um engradado de vinho com a beleza do lugar e quando chega vende outro com o seu museu onde conta a história de seus antepassados.

 

Depois atravessamos a propriedade da Miolo (minha preferida) e saímos na RS 444 no coração do Vale dos Vinhedos.

Importante levar para a pedalada, água e um gps. A dica é ter um aplicativo de gps que funcione off line, pois se tratando de interior não é recomendado esperar que a internet funcione.

E para quem não tem bike para levar, tem um passeio que é oferecido e acompanha o aluguel de bikes, segue o site: https://www.dallonder.com.br/cicloturismo

No mais, esse passeio é imperdível, veja a minha carinha de felicidade após a biketerapia no Vale dos Vinhedos:

img_3341

VINÍCOLAS e CANTINAS PRINCIPAIS:

Bom, eu pensei em dividir por regiões, penso que assim fica mais fácil para aproveitar melhor o tempo.

A dica principal é ter como regra a programação, se tu fores nos finais de semana e não quer agendar visita para não se comprometer, o melhor a se fazer é deixar as vinícolas grandes para visitar nos domingos, como por exemplo a Miolo abre de segunda a segunda, as cantinas pequenas como as da Estrada do Sabor não abrem aos domingos.

VALE DOS VINHEDOS:

img_3402

As principais vinículas do Vale dos Vinhedos:

MIOLO RS 444 Km 21 • Vale dos Vinhedos

ALMA ÚNICA RS 444, Km 17,35 – Vale dos Vinhedos 

CASA VALDUGA  Via Trento 2355 – Linha Leopoldina

O Vale dos Vinhedos localiza-se no triângulo (imediações da RS 444 é formado pelas cidades de  Bento Gonçalves, Monte Belo e Garibaldi.

MIOLO: Além da visitação da vinícola, o grupo Miolo oferece a experiência de um piquenique chique, o Wine Gardem da Miolo. É uma excelente sacada da Miolo, que adora oferecer experiências incríveis aos seus clientes; a vinícula também possui um hotel spa (com uma estadia maravilhosa mas salgada, de cerca de R$ 1.500,00 a diária) que é sucesso, e agora de uns dois invernos para cá investiu em ajudar o povo a fazer um piquenique chique nas dependências da vinícola, comercializando tábua de queijos, copas e coisinhas “más”, pizzas, demais gulozeimas italianas e é claro vinhos. Vale muito investir umas horinhas por ali, o clima é ótimo.

img_3515

img_3509
custos: vinho Almadém R$ 38,00, tábua R$ 72,00; também é sucesso por lá a pizza de 6 pedaços a um custo de R$ 28,00
img_5266
O Wine Gardem é uma ótima pedida no verão também, nessa época os platános tem a função de fazer a sombra.

E para a noite sugiro atravessar a RS 444 e jantar no restaurante do Hotel/spa da Miolo. É uma excelente pedida aos pombinhos. O lugar é bem bacana, com música clássica ao vivo no piano. A emoção também fica por conta do vinho é claro.

 

ALMA ÚNICA: Fica um pouco antes da Miolo para quem vem de Bento e vale a pena chegar, nem que seja somente para ver os seus parrerais, já que o vinho deles é um dos mais carinhos, mas com uma qualidade incontestável; é uma das vinícolas mais jovens da região.

img_5217
nas dependências da ALMA ÚNICA

CASA VALDUGA: A Casa Valduga é a minha segunda preferida. O ambiente é bacana e por vezes eles abrem o espaço ao lado da loja e instalam as chopeiras, isso mesmo chopeiras! a Valduga também está fazendo cerveja e muito boa por sinal, a Leopoldina. Cerveja artesanal da melhor qualidade.

Se quiserem degustar um espumante por ali mesmo, tem um lugarzinho especial para ficar sentadinho e apreciando todas as notas do especial Valduga.

 

RESTAURANTE E ARMAZÉM NONNO MADIERO NO VALE DOS VINHEDOS: Esse restaurante serve a mesma ideia da Nonna Metilde, entrada com sopa, embutidos e a típica comida italiana na mesa. Tudo muito gostoso com um custo de uns R$ 50,00 por pessoa.

img_5241
esse queijinho gratinado é dos Deuses, opa Nonnos.

 

CAMINHOS DE PEDRA: Esse roteiro se inicia nas imediações da cidade de Pinto Bandeira e existe desde os anos 80, quando foi feito um levantamento e notou-se que o lugar possuía a maior quantidade de casas antigas e de fácil acesso da região, e assim se começou a explorar turisticamente.

img_3714

Abaixo minhas sugestões principais do lugar:

CASA DA OVELHA:

img_9500
mesmo tendo ovelhas no sitio dos pais não resisti e me candidatei para alimentar esta gracinha; imagina a felicidade das crianças que nunca tiveram contato com esse bichinho tão fofinho.

A casa da ovelha é o lugar perfeito para levar a família e acompanhar a vida no campo, dar mamadeira para as ovelhinhas e ainda provar um dos melhores queijos na minha opinião, feito com leite de cabra. Possui uma loja na frente bem servida de produtos da produção da casa mesmo; na parte superior faz uma degustação em grupos e nos fundos tem acesso fácil a fazenda para ver as ovelhinhas.

Para mais informações visite o site: https://www.casadaovelha.com.br/

CANTINA STRAPAZZON:

img_9528

A Cantina Vinícola, construída pelos imigrantes italianos em 1875, feita com pedras, barro e esterco de animais e madeira. Tão linda e original que serviu de cenário para o filme “O Quatrilho”. Faz o tradicional atendimento de vinícolas pequenas, feita pelos donos que oferecem provas dos produtos que comercializam ali mesmo, vinhos, geleias e queijos.

Se tiveres mais tempo para ficar pelo Caminho de Pedras, podes fazer outras cantinas, visitei todas numa tarde, mas escolhi essas duas, Casa das Ovelhas e a “Cantina do Quatrilho” como imperdíveis.

Segue site com mais informações: http://www.caminhosdepedra.org.br/?page_id=271

ESTRADA DO SABOR:

img_3573

A estrada do Sabor começa nas imediações do Vale do Vinhedos e vai até Garibaldi; usamos dessa estrada para voltarmos para casa indo em direção a Capital.

Essa estrada assim como o nome diz tem como atração dirigir entre as cantinas que abrem suas portas para apresentar e comercializar seus produtos; por ali fiz um rancho de geleias.

Esse passeio recomendo ao sábado ou domingo de manhã, as cantinas não abrem domingo a tarde… hora de descanso da nona rsrs.

A estrada em si já é uma tração e por muitas vezes paramos para admirar parreirais e laguinhos que fomos avistando ao longo do caminho.

img_3570
partes asfaltadas
img_3591
grande parte do caminho é com estrada de chão batido, mas bem tranquilo
img_3596
ao longo do passeio pela estrada do sabor, você vai percebendo os segredos do nono, esse aqui instalou uma irrigação do açude para os parerais com a mangueira atravessado a estrada, tudo tão simples e funcional.
img_3593
Os plátanos tem uma importância muito grande para quem produz vinho, são eles que dão sustentação aos parreirais.
img_3595
e o que achei fantástico é que eles absorvem naturalmente (sem serem perfurados) os arrames de sustentação.

As principais Cantinas a serem visitadas:

FAMÍLIA OLIR BRUGALLI: Fica num elevado e assim tem uma boa vista do vale. A Família tem uma empresa de embutidos.

FAMÍLIA MARIANI: Produção orgânica de vinho e geleias, sem aditivos que agridem o meio ambiente; achei tudo muito interessante.

img_3566
Aqui as pipas são de polipropileno.

Essa família oferece um passeio de carroça pela propriedade, algo bacana para quem nunca teve vida de colono – não é o meu caso, pois até dormia numa quando criança, quando acompanhava meu pai na lida da lavoura. Isso tem um custo de R$10,00 podendo assim colher frutas e comer na hora.

FAMÍLIA VACCARO:

img_3589

Essa família além de oferecer e claro comercializar o seu vinho, oferece uma volta ao passado te levando ao museu do nono que fica no porão.

Aqui o que achei mais lindinho é a residência que fica ao lado, essa simpática casa antiga.

img_3587

OSTERIA DELLA COLOMBINA:

img_3606

E por último, se tu fores iniciar o passeio partindo do Vale dos Vinhedos em sentido Garibaldi, vai estar esta Osteria; a recomendação é de um almoço no domingo, funciona no porão da família e ali tudo de bom que a culinária italiana inventou de bom será servido.

PASSEIO DE MARIA FUMAÇA: Outra atração imperdível na Serra do Vinho é pelos trilhos, a bordo da Maria Fumaça. Uma viagem cultural ao passado.

img_9539

Nas paradas em Bento e Garibaldi é oferecido vinho, sucos e espumantes e até rola um carteado, hehehe, tudo encenação.

img_9602

O passeio inicia em Bento, faz parada em Garibaldi e termina em Carlos Barbosa. O tempo total de duração é de 2h: 1h30 min  de trem e 30 minutos da volta de ônibus.

O custo do passeio é de R$ 136,00 por pessoa no inverno e no verão em baixa temporada R$ 96,00. Crianças menores de 5 anos não pagam quando acompanhadas de dois pagantes.

O endereço de partida e compra do passeio.

Rua Duque de Caxias, s/n – Cidade Alta,
Bento Gonçalves – RS

Também existe um passeio que é vendido a Maria Fumaça com a visitação do Parque da Epopéia, onde é apresentado um teatro da imigração italiana, esse tem maior duração, de 5 horas.

A empresa exclusiva que o opera os passeios é a Giordani e é preciso fazer reserva antecipadamente. Segue o site deles: https://www.giordaniturismo.com.br/mariafumaca/

DICAS A MAIS:

VINÍCOLA SALTON: Essa vinícula vale também a visita, mesmo que seja um pouco mais afastada das demais, mas é conhecida no Brasil todo pelos seus deliciosos espumantes, eu sou fã do Moscatel deles. Além do que investiram muito na beleza do lugar, parece um castelo. E assim como todas as vinícolas irão te apresentar a produção e contar um pouco da história, tudo coisa boa de se ouvir,

7974525549_5149ec5c13_o

Rua Mário Salton, 300 – Distrito de Tuiuty
Bento Gonçalves – Rio Grande do Sul

 

Bom Fridinhos e Fridinhas, espero que incorporem o espírito italiano e se deixem levar para curtir bastante tudo o que Serra do vinho tem a oferecer.

img_3552

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: